Exames de Sexagem Fetal

Valor do exame: R$179,00

Teste genético bastante sensível e com excelente especificidade.

A sexagem fetal é uma nova técnica não invasiva para determinação do sexo do bebê.
Com uma amostra de sangue da mãe, este teste está baseado na identificação de fragmentos do cromossomo Y originados de células fetais da placenta presentes na circulação materna. Como apenas indivíduos do sexo masculino possuem esse cromossomo dentro de suas células, a presença destes fragmentos indica a gestação de um menino, assim como sua ausência indica uma menina.
Importante lembrar que o exame não detecta gravidez. Assim, se uma mulher que não estiver grávida fizer o teste, este apontará resultado de menina, pois apenas identificará a ausência de DNA masculino.

Quem pode e não pode fazer o exame?

Qualquer mulher grávida a partir da oitava semana de gestação, contada da última menstruação.
Não é recomendado em mulheres que foram transplantadas. Transfusão de sangue nos últimos 6 meses também contra-indica o teste. Mulheres em uso de anticoagulante à base de heparina (ex: Clexane) igualmente não são indicadas a fazer, por interferir na análise do resultado.

O resultado pode ter interferência pelas gestações anteriores?

Não, o DNA fetal é rapidamente eliminado da circulação materna após o parto.

E se a gravidez for gemelar (gêmeos)?

Para gêmeos idênticos (chamados de univitelinos), o resultado é válido para ambos os bebês. Para gêmeos fraternos (presença de duas placentas), a presença de DNA masculino significa que ao menos um dos gêmeos é menino. Se o resultado do teste for menina, indica que ambas as gêmeas são meninas. Em gestação gemelar pode acontecer a perda de apenas um dos embriões, o que é relativamente comum em procedimentos de FIV (fertilização “in vitro”). Neste caso pode ocorrer resultado falso-positivo se o embrião viável for feminino e o embrião que não sobreviveu for masculino. Isto porque a placenta do embrião que não sobreviveu pode permanecer viável por um período prolongado e o DNA fetal detectado nesse teste provém da placenta.

Pode haver resultado inconclusivo?

Sim, em aproximadamente 5% dos casos. Uma nova coleta será solicitada.

O teste pode indicar algum problema de saúde com o feto?

O princípio do teste é a descoberta de material genético masculino na circulação materna e, portanto, não investiga qualquer outro aspecto relacionado à saúde do feto.

O teste acerta 100% dos casos?

Não. Como qualquer teste biológico, ele tem limitações que podem levar a uma indicação errônea do sexo do bebê. Por conta disto, pode ocorrer divergência entre o ultrassom e o teste de sexagem fetal.

Valor do exame: R$179,00

Teste genético bastante sensível e com excelente especificidade.

A sexagem fetal é uma nova técnica não invasiva para determinação do sexo do bebê.
Com uma amostra de sangue da mãe, este teste está baseado na identificação de fragmentos do cromossomo Y originados de células fetais da placenta presentes na circulação materna. Como apenas indivíduos do sexo masculino possuem esse cromossomo dentro de suas células, a presença destes fragmentos indica a gestação de um menino, assim como sua ausência indica uma menina.
Importante lembrar que o exame não detecta gravidez. Assim, se uma mulher que não estiver grávida fizer o teste, este apontará resultado de menina, pois apenas identificará a ausência de DNA masculino.

Quem pode e não pode fazer o exame?

Qualquer mulher grávida a partir da oitava semana de gestação, contada da última menstruação.
Não é recomendado em mulheres que foram transplantadas. Transfusão de sangue nos últimos 6 meses também contra-indica o teste. Mulheres em uso de anticoagulante à base de heparina (ex: Clexane) igualmente não são indicadas a fazer, por interferir na análise do resultado.

O resultado pode ter interferência pelas gestações anteriores?

Não, o DNA fetal é rapidamente eliminado da circulação materna após o parto.

E se a gravidez for gemelar (gêmeos)?

Para gêmeos idênticos (chamados de univitelinos), o resultado é válido para ambos os bebês. Para gêmeos fraternos (presença de duas placentas), a presença de DNA masculino significa que ao menos um dos gêmeos é menino. Se o resultado do teste for menina, indica que ambas as gêmeas são meninas. Em gestação gemelar pode acontecer a perda de apenas um dos embriões, o que é relativamente comum em procedimentos de FIV (fertilização “in vitro”). Neste caso pode ocorrer resultado falso-positivo se o embrião viável for feminino e o embrião que não sobreviveu for masculino. Isto porque a placenta do embrião que não sobreviveu pode permanecer viável por um período prolongado e o DNA fetal detectado nesse teste provém da placenta.

Pode haver resultado inconclusivo?

Sim, em aproximadamente 5% dos casos. Uma nova coleta será solicitada.

O teste pode indicar algum problema de saúde com o feto?

O princípio do teste é a descoberta de material genético masculino na circulação materna e, portanto, não investiga qualquer outro aspecto relacionado à saúde do feto.

O teste acerta 100% dos casos?

Não. Como qualquer teste biológico, ele tem limitações que podem levar a uma indicação errônea do sexo do bebê. Por conta disto, pode ocorrer divergência entre o ultrassom e o teste de sexagem fetal.

Compartilhe com um amigo(a)










Enviar